Arcanos

O Mago

O Arcano I é o senhor do Tarot. É representado por um jovem homem em pé, em frente a sua mesa de trabalho. Nela, estão quatro objetos que simbolizam os elementos fundamentais: moeda (terra), taça (água), espada (ar) e bastão (fogo). Eles também estabelecem a ligação com os mundos material, emocional, mental e individual. A mão estendida para cima, significa poder e vontade. A que está voltada para baixo, realização e busca da massa alquímica. Acima de sua cabeça encontra-se o símbolo do infinito, representando seus poderes ilimitados.

O Mago simboliza a força do homem em domar a natureza, analizando suas energias e direcionando-as com criatividade. Ele é a busca do poder, o incessante fluxo da criação e a capacidade de revelar a realidade fundamental onde tudo se estrutura. Tem muita alegria de viver, é astuto, inteligente e muito determinado para conseguir seus objetivos. Seu caráter é um labirinto de contradições. Exerce as funções mais variadas em proporções inacreditáveis.

Esse arcano aponta o potencial criativo não manifesto ainda em nós e indica momentos de clareza e identificação das possibilidades não exploradas. No jogo, ele pode indicar o início de uma fase importante no mundo dos negócios. O Mago pode ser vendedor, comerciante, especulador, atravessador, mascate, relações públicas, camelô, dançarino e todas as profissões que exijam jogo de cintura, habilidade e talento. Tem temperamento alegre, brincalhão, mas é também mentiroso, trapaceiro e, sempre que pode, tenta induzir o outro a fazer aquilo que ele deseja, sem que isso seja percebido.

Representa o momento criativo do aqui e agora, além da capacidade de acelerar processos naturais em aparente desafio às leis da natureza. Uma pessoa assim pode ser boa ou má, pois existe o Mago Branco e o Mago Negro, mas o importante é saber que ambos tem poder, inteligência e habilidade. Seu maior desafio é a vaidade.

Significa alegria, integridade, vontade de viver. Indica enorme capacidade criativa, atividade, energia e astúcia. Simboliza o domínio sobre a situação.

A Sacerdotisa

O Arcano II é simbolizado por uma mulher madura, qualificada para ocupar o trono. Numa das mãos ela segura um livro, só apresentado pela metade, onde está contida toda a sabedoria. Ela está totalmente vestida e tem um ar contemplativo. Ao fundo as colunas do Bem e do Mal, encoberta por véus.

Essa lâmina está relacionada com os mistérios, segredos e intuição. Misteriosa, tímida, recatada, a Sacerdotisa busca a perfeição no silêncio reflexivo de suas emoções. Serviçal ao extremo, acha que tem como missão servir aos outros, ajudar, proteger e educar. Ama a religião e despreza a ciência. Em sua intimidade, ela conhece o potencial a ser desenvolvido e as nuances mais sombrias e primitivas da personalidade de cada um. Possui mediunidade onírica (revelada através dos sonhos), prevê acontecimentos e capta a energia das pessoas e do meio ambiente em que se encontra.

É a grande mãe que acoberta os filhos e mantém a casa em perfeito estado. Dada a relacionamentos platônicos, tem dificuldade em se envolver emocionalmente com as coisas e externar seus sentimentos. É reservada, fria, distante, observadora, pouco intelectual, fascinante, sedutora e enigmática. Não se deixa conhecer e nem permite que entrem em sua intimidade. Seu amor e conhecimentos são dados a poucos escolhidos por ela.

Simboliza o útero silencioso que acolhe os frutos da vida, fecundados na escuridão. É melancólica, discreta, elegante e sabe de si. Seu domínio é exercido sutilmente sem que ninguém perceba. Mansa, sonhadora, tem olhar dócil e retidão de caráter. É a profunda serenidade que nossa alma precisa para encontrar seus maravilhosos poderes.

Representa a meditação e intuição, mistério e segredo. Revela uma personalidade reservada, que guarda muito bem seus mistérios. Ama a religião e despreza a ciência. Em sentido negativo, pode significar intolerância

A Imperatriz

O Arcano III é representado por uma mulher bem vestida, coroada, com um bastão na mão, significando o domínio das emoções. A seus pés uma lua simboliza sua criatividade a razão pela qual chegou ao máximo. O escudo na sua mão direita é o conhecimento de quem sabe se defender. Ela é a fêmea, a consciência de sermos parte da natureza e de suas transformações. É o contato com o corpo como fonte de prazer, alegria e apreciação de suas formas. É também charme, beleza, sedução, liberdade sexual e interesse pelos detalhes do dia-a-dia.

Representa o lado feminino em seu auge, sem o qual não podemos gerar, dar frutos e ter paciência de esperar com tranquilidade os momentos certos para termos condições de agir. A Imperatriz protege, dá segurança, é sábia, racional, inteligente, dedicada, dominadora, podendo até ser egoísta. Também é seletiva, intelectual, autêntica e crítica. Gosta de luxo, conforto, mordomias e riqueza. Corre o risco de ser fútil e tem mania de perfeição.

Incorpora bem a mulher de negócios, a esposa dominadora ou ainda atriz, líder comunitária, dançarina, poetisa. A chave do seu poder é o estado de constante inspiração e amor. Quando ama é sufocante e possessiva. Quer ser sempre o centro das atenções e tenta sugar do sexo oposto tudo o que pode. Ela é a compreensão dos nossos potenciais e a energia transformadora que concretiza as infinitas oportunidades da vida.

Indica facilidade de expressão, amor pela verdade e justiça. Em sentido positivo, controla os problemas do dia-a-dia com sabedoria e perspicácia. No sentido negativo, vaidade e sedução em excesso.

O Imperador

O Arcano IV é representado por um homem forte e imponente. Sua mão direita segura um cetro com o globo do mundo e uma flor de liz na extremidade. Está sentado numa pedra cúbica ou num trono, o que simboliza o poder sobre as coisas concretas e objetivas. Essa lâmina simboliza poder, energia, autoridade e convicção de idéias. É fiel ao que sente e prático nos seus objetivos. Tem a habilidade de concretizar suas vontades e enfrentar a vida com seus próprios recursos. É a imagem do pai protetor, provedor e dominador. Trabalha muito, é machista, tenso e moralista (mas só com os outros). Sente-se disposto a aceitar conselhos, mas no final vai seguir suas próprias idéias e opiniões.

É líder, corajoso, estável e produtivo, sendo capaz de realizar várias funções ao mesmo tempo. Tem estabilidade, solidez, harmonia e uniformidade. É protetor ativo e transformador, significando a união entre o vigor e o equilíbrio. Simboliza a totalidade e o desejo do homem em ultrapassar sua condição de ser humano. O desejo de ser perfeito. Está sempre de prontidão e não relaxa nunca, pois se o fizer, poderá perder o controle do reino. Gosta de riqueza, é vaidoso e prepotente. Só acredita em si e concede aos outros o prazer de sua presença. O Imperador só age quando tem certeza que tudo sairá bem, pois acredita em algo muito maior, que nasce dele e emana de sua totalidade. Ele é o engenheiro, o militar, e adora exercer profissões em que pode gerenciar ou dar ordens. Tem tendência a dominar o mundo por seu poder de expansão.

Símbolo do poder, energia, direito e rigor. Representa proteção, estabilidade, método e organização. Além de uma grande vontade de realizar coisas em vários campos. Em sentido negativo, corresponde ao domínio.

O Papa

O Arcano V é representado por um homem idoso, sentado num trono entre duas colunas que simbolizam a intuição e a razão. Na imagem ainda aparecem dois fiéis que o escutam atentamente, sem questionar.

Essa lâmina representa consciência moral, ética, bons costumes, senso de dever, fé, questões relativas ao espírito e conhecimento de causa dos próprios atos.

Servindo-se desta sabedoria, o Papa dita regras, gosta de tudo muito bem explicado e busca entender o porquê de todas as transformações internas. Acha que é o dono da verdade e acaba impondo aos outros suas idéias.

Intelectual, sabe verbalizar seus pensamentos. Adora dar bons conselhos e tem dificuldade em ouvir o que os outros têm a dizer. É amável, polido, inteligente, conservador, preconceituoso, muito apegado ao passado e às tradições. Tem dificuldades em se adaptar a novas situações pois os princípios e valores para ele são imutáveis.

Possui dons literários, inspiração, clemência e vocação religiosa. Ele é o guia interno que estabelece a ponte entre Deus e o homem. É o mestre espiritual existente em cada um de nós, o conhecedor intuitivo das leis divinas.

As questões filosóficas e espirituais estão ligadas a este Arcano, que incorpora bem a figura do analista, médico, professor, padre ou mentor espiritual.

Encontrar respostas para as questões da vida é seu dom natural, pois ele só se comprometerá com a existência se entender o sentido de sua condição humana. É a quinta-essência, a vida manifesta no corpo.

Significa alegria, integridade, vontade de viver. Indica enorme capacidade criativa, atividade, energia e astúcia. Simboliza o domínio sobre a situação

O Enamorado

O Arcano VI representa a imagem de um jovem homem, tendo que escolher entre duas mulheres que personificam a virtude e o vício, o caminho ideal para seguir. Essa lâmina corresponde ao momento de decisão dos opostos, os desafios que muitas vezes não estamos preparados para enfrentar. É a necessidade de impedir que os impulsos nos conduzam, de tomarmos a decisão acertada. Pode ser o “deixar o certo pelo duvidoso”, idealismo, amor, necessidade de se submeter às provas, tentação, atração física e psicológica, falta de reflexão e dúvidas. São os dilemas que enfrentamos diariamente e a necessidade de assumirmos sozinhos a responsabilidade de quaisquer ações que venhamos a praticar. Pode ser confusão de idéias, vontade de agir, várias visões de um mesmo tema, e também fascinação. É o passado, as tradições, os bons costumes de um lado, e de outro, o novo e o desconhecido. Simboliza também o belo, a virtude, o pecado e o triângulo amoroso que ignore os códigos éticos. Essa lâmina consiste no desafio de ligar os planos espiritual e emocional através de um apaixonado envolvimento pela vida, conseguindo um novo relacionamento com o próximo e harmonia consigo mesmo. É o conflito interno que torna a vida mais rica e criativa, onde todo o nosso ser se movimenta para chegar a um eu mais profundo e individual. Seu maior propósito é de se desvencilhar da fascinação mortal, libertar a alma e ser senhor de si mesmo.

Essa imagem representa a busca da harmonia, beleza e idealismo. Em sentido positivo, o Arcano pressupõe a escolha acertada e equivalente à beleza moral e à integridade. Às vezes, simboliza a tentação.

O Carro

O Arcano VII representa a figura de um jovem conduzindo um carro. Vestindo uma couraça e levando seu cetro, ele encarna os princípios superiores da personalidade humana. A couraça representa sua defesa contra as forças interiores. Sobre seus ombros, vêem-se dois crescentes lunares que significam o mundo das formas. Duas esfinges encontram-se atreladas ao carro. A clara: o Bem conquistado. A escura: o Mal vencido. Essa lâmina está associada à idéia de autodomínio, vitória e coragem na busca dos objetivos. São os instintos guiados pela vontade do consciente. É a jornada interior do aoutodescobrimento, quando se dá o crescimento e o fortalecimento da personalidade. É a proposta de ação pessoal que oferece inúmeras oportunidades e percepção para descobrir o que realmente se é. O Carro pode ser o início de um novo ciclo de desenvolvimento e a experiência necessária para caminhar na vida em terra firme, quando nos sentimos acima da nossa natureza animal e nos capacitamos a tomar rumo, estabelecer metas e realizar desafios. Simboliza liderança, gosto de viajar, garra, ação, coragem, determinismo, tomada de decisões, necessidade de revisão, inteligência intuitiva, vigor e fidelidade aos sentimentos. Também é agressividade, impetuosidade, cobiça, disputa, saúde e liderança. O Carro sabe que a vida deve continuar, por isso busca ser bem equilibrado, decidido, tendo um certo apego à matéria. Possui magnetismo pessoal e costuma conduzir uma relação a dois. Carece de humildade e se acha sempre guerreiro e vencedor. Mas ele é a estrada maior para a individualização.

Essa lâmina está associada à idéia de autodomínio, progresso e vitória. É o Arcano da agilidade, inteligência e triunfo. Símbolo da impulsividade. Indica determinação e coragem na busca de seus objetivos.

A Justiça

O Arcano VIII é representado por uma mulher sentada num trono estável e maciço. Segura em uma das mãos a balança (peso do bem e do mal) e na outra, a espada (decisão e verdade). Simboliza a busca do equilíbrio, análise, lógica, raciocínio, cumprimento das leis, organização. Suas palavras tem o teor da sua honra. Quando julga, não mistura seus sentimentos pessoais, pois sua avaliação é fria e objetiva. Imparcial e lúcida, a Justiça não se deixa levar por desejos humanos. É objetiva e seu compromisso com a verdade transcende aos instintos e paixões. O Arcano Justiça representa a responsabilidade que precisamos assumir na vida relação aos nossos atos. Sua preocupação maior é o equilíbrio. É o diálogo entre consciente e inconsciente, que resulta em ação objetiva. A Justiça é a necessidade de criar harmonia entre as forças opostas para que o homem possa caminhar espiritualmente em direção às suas próprias verdades, pois são as únicas que perduram. Lembre-se sempre que da maneira como você analisa e julga o outro, você será julgado e analisado.

Harmonia, regra de conduta, fria e rigorosa em seus julgamentos. Não aceita idéias alheias sem avaliá-las. Pretende entender e racionalizar tudo. Ignora aquele que tenta interferir em seus planos

O Ermitão

O Arcano IX é representado por um ancião que leva na mão direita uma lanterna, a luz que ilumina seu caminho. Um cajado facilita seu trabalho. Ao seu lado, rasteja uma serpente. Ele não a destrói, apenas a encanta. Essa lâmina simboliza sabedoria, autoconhecimento, solidão, prudência e maturidade. É o silêncio interior onde você se encontra, se ouve e se sente porta-voz e árbitro de suas leis. Acumulando experiências, ele é um viajante que não fica pensando no que deixou para trás, mas naquilo em que a vida o transforma, para explorar suas potencialidades futuras.

Ele é a síntese de quem sofreu, de quem aceitou sua condição humana e sacrificou suas fantasias por uma realidade pessoal que o transformará num ser eterno. É a maturidade na velhice ou mesmo na juventude. Dotoado de personalidade marcante, o Eremita tem uma enorme capacidade de conviver com as pessoas, entender seus problemas e aceitar seus defeitos. É incapaz de negar ajuda a quem precisa. Muitas vezes pode representar alguém fechado em seu mundo, que não se entrega facilmente às pessoas e aos envolvimentos emocionais, só confiando em si e talvez, com tendência ao egoísmo. Neste caso, desconfia discretamente das pessoas, podendo ser avarento, introspectivo, calado, observador, paciente, tímido e resistente. Tem olhar profundo, penetrante e desafiador. Quando se apaixona, tem em mente nunca se misturar ou se fundir com a pessoa amada. O Eremita é o momento em que, tendo atingido uma segura unidade interior, a pessoa sente-se capaz de se expor ao caos externo sem se deixar confundir. Ele simboliza o viajante solitário que clareia sua própria escuridão, que atravessa as dimensões do espaço e do tempo para conquistar o sentido do aqui e agora. É o poder mágico que o homem tem de conhecer a si mesmo e a necessidade que cada um de nós tem de descobrir a sua luz interior.

Simboliza a prudência, a sabedoria, a maturidade. Demonstra um interior rico, sábio, só que voltado para si mesmo. Não extravasa suas emoções, mostrando-se tímido e introspectivo

A Roda da Fortuna

O Arcano X é representado por uma roda em constante movimento. É intercalada por dois gênios simbolizando o bem e o mal. Acima, aparece uma figura imóvel, em alusão aos mistérios de todas as coisas e à interpretação do sentido oculto daquilo que é aparente. Essa lâmina é a imagem do retorno, do fluxo contínuo da vida, do ir e vir dos acontecimentos e dos ciclos da natureza.

É o destino que se cumpre em busca de incessante ponto de equilíbrio. É entrar em situações repentinas independente de nossa vontade, ganhar ou perder a qualquer momento. Fazem parte da natureza da Roda, o desafio individual, a pressa, a instabilidade e a impossibilidade de fugir do inevitável. Sua imagem é profunda. As bordas são os eternos ciclos da vida. Seu eixo, no entanto, permanece imóvel. É o eu interno, centrado, imutável e eterno que encontrou em si, a força independente das influências externas que fazem girar a Roda, como moinho de vento. Esses “ventos” podem ser fracos ou fortes e isso prenuncia, no jogo, mudanças repentinas que podem ser boas os más. Esse Arcano é a imagem de que “tudo passa”, nada se mantém: dinheiro, riqueza, apogeu, progresso, tristeza, dor, solidão, etc. Focaliza a questão do destino versus livre arbítrio e a energia que tudo movimenta. É a expectativa do que vem e vai, a lei imutável da causa e efeito.

A Roda representa a energia em constante transformação, a dualidade: integração e desintegração, morte e renascimento. Seus principais objetivos são conquistar, ganhar e ascender. Para isso, reúne ansiedade, movimento e agitação. Esta carta determina força de vontade, mesmo que isso exija paciência e perseverança

A Força

O Arcano XI mostra a figura de uma mulher controlando sem esforço um leão. Acima de sua cabeça encontra-se um símbolo do infinito. Representa o triunfo da inteligência, da força sem agressão, da confiança em si e nos valores morais e ideológicos.

Está ligada ao sentido de permanência interior que surge a partir do reconhecimento do próprio eu. É a força de atração sexual feminina, controle de todo tipo de energia, zelo e triunfo do amor sobre o ódio. Se casada, jamais se submeterá à personalidade ou vontade do homem. Possui autoridade de quem confia em si. Significa a natureza humana que é capaz de fazer frente à natureza animal. Ela não acalenta sonhos. A realidade é seu trânsito na vida. Sincera, chega a ser dura em suas opiniões e reprime muito suas emoções e sentimentos. Tem audácia, habilidade, virilidade e carisma. A Força é a exigência, a auto-importância, a convivência benéfica com o inevitável e a transformação da força animal para que o homem atinja ao máximo em seu aspecto humano. Ela é, antes de tudo, a integridade para consigo mesma e para com os outros.

É o triunfo da inteligência sobre a brutalidade. Representa persuasão, trabalho, vitalidade, confiança nas suas potencialidades, nos seus valores morais e ideológicos. É uma personalidade dominadora, séria e carismática e muitas vezes indica a solução para problemas sentimentais.

O Enforcado

O Arcano XII é representado por um homem dependurado de cabeça para baixo. Em seu rosto não há expressão de desespero ou dores ou perdas. Suas pernas se cruzam formando um quatro (4) que é o quadrado, a concretização. Essa lâmina é o símbolo do sacrifício voluntário, da transição e de uma iniciação auto-imposta.

São experiências amargas, carências, reajustes, pendência e falta de firmeza nas opiniões. É abrir mão de tudo que já se conseguiu anteriormente para começar de novo com uma consciência maior. Pode ser auto piedade, complexo de inferioridade, abstinência, masoquismo, impotência, culpa ou desilusão. Sentir o enforcado é o desafio maior de quem quer se arriscar na vida, inverter seus valores e subverter a ordem estabelecida. É a fé de quem apostou em si e banca seus próprios sacrifícios. Esta carta é a do Iniciado e do momento mágico da renúncia. É a possibilidade de viver um ciclo completamente novo e diferente dentro do que já foi experimentado. São crises de valores e a necessidade de reformulação para que a vida tenha novo teor e qualidade. Nesta fase, a pessoa se sente pouco disponível para participar de atividades sociais pois fica melancólico e sem entusiasmo. O Enforcado diz que você jamais será o mesmo a partir do momento que entrar, por livre arbítrio, no seu processo de mudança mais profundas e radicais da vida.

Misticismo, sacrifício, abnegação. Mostra que a pessoa não tem muita firmeza de opinião, nem convicção em seus desejos. É o famoso “coitadinho” aos olhos dos outros. Em sentido positivo, é o abrir mão em nome de algo maior

O Ceifador

O Arcano XIII é o símbolo da renovação, transformação, renascimento, finalização de ciclos e abertura de novos caminhos. É a lei irrevogável de morte e renascimento que cada um de nós vivencia na marcha da evolução. É o contato com as características primitivas da natureza pessoal e o lado obscuro das coisas que precisam ser purificadas pelo fogo. Das cinzas desse fogo inicia-se uma nova etapa.

Significa a descoberta do submundo das próprias emoções. É a destruição, morte e eliminação transformando tudo que já foi criado e impedindo que se mantenha estático. Alterações do que imaginamos ser (quebra de identidade), perda de ilusões, ruptura de laços ou com pessoas e propriedades.

É o momento mágico da entrega diante da fatalidade e a aceitação de algo muito maior e mais poderoso do que a si mesmo. São experiências estressantes, choque entre mundos, interno e externo, rendição diante daquilo que não pode ser mudado, depressões, desafios, perda do poder, impotência, frieza, vazio, ausências, agressão, ameaça, indiferença, rejeição, violência, abandono ou tensão de ter ou perder. É a aceitação do imutável, e a experiência de “morrer” para renascer numa escala superior de consciência. Esse Arcano é a visão da vida mais rica e profunda de quem atingiu o seu propósito de fazer parte da matéria prima da vida. É a revelação dos tesouros internos e o momento espiritual de integração à verdade.

Seu lema é cortar o mal pela raiz, para recomeçar, renovar, mudar. Tudo com muita fé, coragem e uma forte estrutura emocional. É a transformação de todas as coisas, a marcha da evolução, a desmaterialização.

A Temperança

O Arcano XIV mostra a imagem de um ser alado vertendo água de uma vasilha de prata em outra de ouro. Sua ação expressa a transformação experimentada pelo fluido vital ao passar da ordem lunar (o interno) para o solar (o externo), ou seja, da prata para o ouro.

Esta carta é a da alquimia interna, da experiência, do trabalho e da realização das coisas em seu devido tempo. É o movimento incessante da energia que purifica o homem em seu momento de espera e reflexão. Pode ser angústia, sofrimento, longas viagens, muito trabalho, calma e paciência. É a impossibilidade de sermos agentes ativos interventores nos nossos ciclos. A Temperança é a percepção desabrochando para a vida. É tudo aquilo que pode ser conseguido pelo autocontrole e persistência. É o movimento da regeneração e purificação e a necessidade de um redirecionamento dos objetivos e relações. São os poderes que atuam em nós e que estão além da nossa experiência cotidiana. É a confiança nas correntes profundas da vida e o deixar-se fluir com elas.

Ela simboliza os rituais, intercâmbios, comunicações, e um de seus aspectos negativos é ter pouca praticidade. Esse Arcano representa a alquimia interna que integra corpo e alma de um modo individual e expressivo.

Simboliza a profunda experiência. Capacidade de avaliar com alma e minúcia cada situação do cotidiano através da circulação, regeneração e purificação das águas. Para esta lâmina, “a água mole em pedra dura tanto bate até que fura.”

O Diabo

O Arcano XV é uma figura andrógina com chifres e asas de morcego. A seus pés, duas figuras amarradas frouxamente significam a servidão. O Diabo não é propriamente mau, como prega a ortodoxia de certas doutrinas, mas sim, a pulsão da vida, a libido, a natureza indomada e a fúria das paixões. É o desejo sexual, o apetite, vício e incapacidade de projeção das metas.

Indica a necessidade de confrontação com tudo que está oculto e vergonhoso na base da personalidade. Para ele não há limites e sua atuação independe de princípios ou ética. Representa também ciúme, amor possessivo, paixões secretas, e a concretização de desejos egoístas. Ele é o nosso lado animal que, não deve ser rejeitado nem destruído, mas sim, cuidado e controlado, pois sua livre ação acarreta-nos graves conseqüências. A aceitação dessa natureza é a possibilidade de cumprir o destino especificamente humano.

O Diabo vive por compulsão e não consegue estabelecer uma união com seu “eu” num nível diferente de percepção. Ele se deixa levar pelas tentações. É o instinto indomado. Tem súbitas explosões, ódios e instintos irrefreáveis. É fanático, de caráter vingativo, duvidoso e ambivalente.

É a lâmina das paixões, do instinto, das atrações secretas, das artes mágicas. Ao mesmo tempo que indica frieza e inteligência, simboliza o amor possessivo, o ciúme, a busca incessante da concretização dos sonhos e desejos.

A Torre

O Arcano XVI representa uma torre fulminada por um raio vindo do céu. Do topo, em forma de uma coroa de cinco pontas, caem duas figuras. Elas simbolizam o rei e o seu arquiteto. Essa lâmina significa a destruição de antigos padrões, perda de estabilidade, ruptura das relações anteriores e crises interna e externa. É o prenúncio de quebras de estrutura das leis vigentes, separação repentina, decepção, susto, catástrofes, perda de bens, extravios e calamidade pública.

É a alteração brusca do padrão de vida, desilusões, desastres. Numa expressão popular, pode ser “puxar o tapete do outro”. Representa o desejo de romper com tudo que é falso para recomeçar tudo de novo, sem angústia e com liberdade.

Pode ser o orgulho ferido de quem se acha superior a todos, o dia-a-dia em que dá tudo errado, “levantar com o pé esquerdo”, ambição de atingir o sucesso e busca da fama. Quanto à saúde, indica instabilidade no sistema nervoso, raiva e imprudência. O fundamental nesse Arcano é a capacidade de reconstrução, de erigir o que se quer com métodos diferentes, pessoas novas e noutro lugar.

Expressa o perigo que conduz o excesso em si mesmo e suas consequências. Representa dificuldades de construir algo concreto. Indica falta de confiança no seu potencial.

A Estrela

O Arcano XVII é simbolizado por uma jovem pura e desnuda em perfeita integração com a Natureza. Um pé na terra e outro na água, ela derrama as águas da vida contida nos dois vasos, simbolizando o despertar de novas idéias e a antecipação de novos conceitos. No céu, há uma estrela maior e outras sete menores. É o desabrochar do paraíso que todos nós buscamos. Esta lâmina representa a inspiração, a leveza e o amor em todo o seu esplendor. É a estrada numa dimensão maior da vida. É a natureza contemplando a existência terrestre sob o prisma da espiritualidade.

São os sonhos e o material inconsciente que se misturam e se fundem em direção ao consciente. É a esperança que emerge das profundezas para tornar a vida melhor. Pode ser meditação, relaxamento, tranquilidade e tudo que harmoniza-se em si. A Estrela pode ser ingênua, inocente e presa fácil de pessoas mal intencionadas. Imagem da esperança, ela vem como um alento na dor e nos sofrimentos, pois deposita no futuro suas convicções e a ele credita soluções para os problemas.

É o Arcano do lado menos condicionado do homem, a intuição, a bússula, as diretrizes para o seu viver. Este Arcano está ligado à música, filosofia, artes plásticas, poesia, movimentos ecológicos e naturalismo. A Estrela é a aparição misteriosa da esperança no círculo da vida. É a possibilidade de ser feliz.

Expressa a comunicação entre os mundos. É esperança, fé, pensamento positivo. Corresponde a uma pessoa aberta, sensível, muito amiga e, por isso mesmo, presa fácil de gente má intecionada.

A Lua

O Arcano XVIII é simbolizado por dois animais uivando em direção à lua e um caranguejo que sai da profundeza das águas dentro de um cenário que transmite medo e angústia. A Lua é o mergulho profundo nas verdades dolorosas da vida. É o mergulho nas depressões, angústias e ansiedades, sendo o momento mais doloroso e desolador da nossa jornada. Compreende um período de confusão, incerteza, choro, devaneios e desesperos.

É o nosso mundo abissal e a coragem de enfrentá-lo, pois é lá a morada dos nossos monstros interiores, que tememos conhecer. É também a abordagem do lado noite da nossa vida, o pedido de socorro, o contato com a natureza bestial e o nascimento de uma possível rendição. Essa lâmina sugere a presença de mágoa, intuição, magia, má influência, inimigos ocultos, falsas promessas, perigo, imaginação fértil, intrigas, mentiras, conspiração, verdade nua e crua e novas descobertas.

Esse Arcano significa o contato com os nossos mistérios quando todas as coisas entram em ebulição e eles se revelam maiores do que imaginávamos. Devemos respeitar e não temer a Lua, pois ela desvendará os segredos do nosso interior. Pode ser um momento extremamente fecundo.

Intuição, imaginação, magia. Significa a noite, depressão, a angústia, o medo. Indica insegurança, mas também inteligência. Este Arcano deve ser respeitado, pois desvenda os segredos do nosso interior.

O Sol

Arcano XIX representa a figura de duas crianças quase desnudas, que se mostram perfeitamente integradas entre si. Atrás das mesmas, um muro indica a existência de um limite. Simboliza a essência da vida, nosso caminho, nossa luz e nossos arquétipos. É a concretização do todo e o ponto de luz que procuramos absorver para a elevação do nosso íntimo.

O muro é símbolo das barreiras, das dificuldades, da sombra e das limitações. Não podemos nos entregar por inteiro ao sol, sob pena de nos queimarmos. Temos de ir devagar ao encontro dele, na impossibilidade de conceber todos os seus mistérios.

Este Arcano representa a unificação do micro com o macro e seu caminho é feito de leveza, espontaneidade e naturalidade para levar-nos a Deus e ao amor. Significa crescimento espiritual, satisfação, realização, alegria, casamento, devoção, sentimentos altruístas, sinceridade, glórias, relações favoráveis e religião. É o presente que se mostra claro e puro e a manifestação do verbo Divino no mundo. É o amor bem além do nosso micro mundo. É o Ego, a impressão que você passa, visando o Eu, sua essência e substância. O Sol é o discernimento de quem sabe de si e do outro. É dar e receber, entrar em sintonia com todos os aspectos da vida pela consciência de poder ser feliz apesar das dificuldades. Neste Arcano o Amor é o princípio e a causa de tudo.

Razão, reflexão, objetividade. Transmite vivacidade e desembaraço. Corresponde à espiritualidade, glória, iluminação. Este Arcano simboliza o nosso caminho, a nossa luz.

O Julgamento

O Arcano XX é simbolizada por um anjo ou um gênio que toca uma trombeta. Três mortos estão revivendo e saindo do túmulo. Essa lâmina é o despertar do passado, com seu acervo de experiências, para que no futuro possamos construir algo melhor.

É a nova ordem que surge a partir da conquista de novos ideais e valores. Significa que permanecíamos cegos e adormecidos para a verdade durante muito tempo, mas que fomos recompensados, pelo exercício do aprendizado.

O Julgamento é o final da purgação, a cura, a superação ou o renascimento de alguém que despertou para uma nova vida. Por outro lado, pode sugerir uma fuga da realidade através de uma falsa espiritualidade. Sua linguagem é a de Deus. É o Arcano do futuro, no jogo, indica um fato imprevisto ou uma missão a cumprir.

É o casamento da Terra com o Céu, um momento mágico, quando os dois se unem para uma grande mudança. O maior ensinamento dessa lâmina é que devemos analisar nossas ações, sobretudo os equívocos do passado, tirando deles os ensinamentos que nos proporcionarão, no futuro, o pleno desenvolvimento de nosso mundo interior.

É a carta da mutação. Simboliza renovação, cura, ressurreição. Antes de transformação, questionamento, exame, avaliação das experiências. Indica charme e carisma.

O Mundo

O Arcano XXI é simbolizado por uma figura andrógina que tem seios de mulher e órgão genital masculino encoberto por um pano. Segura com a mão esquerda a baqueta mágica e com a direita outro bastão. Em volta de si há uma guirlanda significando a serpente que morde a própria cauda.

Este Arcano é a culminação da longa jornada. É a integração dos lados feminino e masculino. Representa as realizações e o momento certo para alcançarmos um objetivo. É a consciência ampliada para todas as coisas do mundo e as que transcendem a ele.

É a lâmina que nos sugere êxito, capacidade, expansão, libertação, triunfo, saúde e busca do equilíbrio do universo interior. Significa a estabilidade de quem está estruturado para fazer da própria existência a revelação maior da vida. Simboliza a grande obra. O homem sendo influenciado e influenciado o mundo em torno de si. Jung assim descreve o significado deste Arcano: “Experimentar o eu significa estar sempre consciente da própria identidade. Então você fica sabendo que nunca poderá ser outra coisa senão você mesmo, que nunca poderá perder-se que nunca alienarse-á de si. Isto é assim porque sabe que o Eu é indestrutível, que é sempre um e o mesmo, que não pode ser dissolvido nem trocado por outra coisa. O Eu lhe permite permanecer o mesmo em todas as condições de sua vida.

Representa o homem diante do todo, em busca do seu espaço. Ele tem espírito aventureiro, gosta de conquistas. Entrega-se totalmente à vida, aos prazeres do mundo. Vive cada momento com intensidade. Geralmente é desogarnizado.

O Louco

Este Arcano, sem número, que tanto pode ser o primeiro como o último do Tarot, é representado por um homem com trajes espalhafatosos que caminha sem direção definida. Sua perna esquerda é mordida por um animal, que de certa forma, o freia. Carrega ao ombro uma sacola que contém material desconhecido. O Louco, no Tarot, simboliza o ser humano que não sabe de onde vem, por que veio ou pra onde vai. Sente apenas o misterioso impulso que o impele a se atirar na vida, vencer a qualquer preço, aventurar-se mesmo sem razões ou porquês. Irracional em si, é impulsivo, irreverente e imaturo.

Representa a ansiedade do homem em ir além de si mesmo, de se superar, de alcançar o que lhe escapa à lógica, de pagar para ver os resultados de seus atos impensados. Sem apego e sem raízes, ele parte em busca do que o fascina no momento, mesmo que lhe custe o abandono dos seus afetos. Caminhar sem saber para onde vai não chega a ser um problema, pois não mede esforços para chegar aonde seu espírito chama. Ele incomoda a sociedade por não respeitar os convecionalistas ou ética. Com sua imagem descomprometida, tenta sempre chocar os valores burgueses. Dotado de ironia inteligente, ele penetra facilmente em todos os segmentos sociais, tirando partido deles, criticando-os, ridicularizando-os e expondo o lado obscuro e comprometedor de cada um deles. Costuma sair ileso das situações por estar respaldado pela imagem displicente, descuidada e inconsequente da insanidade. O Louco carrega em si tanto a sabedoria como a ignorância. Ele é rei e mendigo, anda por toda a parte e nada o retém. Conhece de tudo um pouco e não personifica nada. Com isso, detém todas as possibilidades. E também desorientação, entusiasmo, euforia, frivolidade e gosto por viagens. Prefere uma gargalhada a um sorriso. É alegre, descontraído, carismático e parece infantil.

Irracional em si, representa também a impulsividade. Irreverente e inconsequente, pode criar e adotar projetos audaciosos, movido por desejos e paixões. Gosta de ser o centro das atenções.

Anúncios

2 respostas para Arcanos

  1. Miriam Dobbin disse:

    Namur,li e reli cada arcano,vc sempre com o gde dom de descrever e encantar .Bjos
    Miriam

  2. Juçara Mattos disse:

    ‘Simplesmente Namur,
    Qual Arcano simboliza ”CONSCIÊNCIA”??
    Grata

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s